8 dicas para combater o caramujo gigante, que causa meningite e prejuízos na lavoura – Globo Rural | Agricultura

caramujo_gigante (Foto: Divulgação)Caramujo gigante é um dos principais vetores da meningite eosinofílica (Foto: Divulgação)

A revista científica Memórias do Instituto Oswaldo Cruz alertou sobre os casos de meningite eosinofílica no Brasil, que é transmitida pelo parasita Angiostrongylus cantonensis.

Desde 2006, foram 34 diagnósticos, com crescimento de doentes em regiões costeiras como Bahia, Espírito Santo, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo, onde foram encontradas amostras de moluscos e ratos infectados pelo verme.

O vetor mais frequente da doença no país é o Caramujo Gigante Africano, que ingerem fezes de roedores contaminadas com as larvas do verme. Ao se locomoverem, liberam um muco contaminado que pode infectar humanos por meio de legumes, frutas e verduras mal lavados. O molusco, além de causar doenças, é responsável por prejuízos na agricultura.

O biólogo e especialista em entomologia urbana, Sérgio Bocalini, vice-presidente executivo da Associação dos Controladores e Vetores de Pragas Urbanas (APRAG), dá 8 dicas de como evitar o contato com esta espécia de molusco, que virou praga no país:

1. Em hipótese alguma, moluscos capturados no ambiente podem ser comidos ou criados.

2. Encontrando moluscos e/ou ovos em sua casa, capture-os com as mãos protegidas por um saco plástico ou luva.

3. Capturar os moluscos no crepúsculo e/ou dias nublados e chuvosos, pois saem de seus abrigos em maior número.

4. Destruir os moluscos encontrados no peridomicílio e em terrenos baldios colocando-os em um balde com água e bastante sal de cozinha (NaCl) até não apresentarem qualquer sinal de movimento. Quebrar as conchas para que a água da chuva não fique nelas empossada e, posteriormente, enterrar ou por no lixo.

5. Os ovos, pequenos, de cor clara e duros, devem ser destruídos por fervura em água antes de colocá-los no lixo.

6. Evitar manusear outras espécies de moluscos como lesmas e caracóis de jardim, pois podem ser, também, hospedeiros de Angiostrongilíase, principalmente em ambientes contaminados e com presença de roedores.

7. Lavar cuidadosamente e desinfetar com solução clorada todas as hortaliças folhosas que serão consumidas cruas.

8. Manter quintais, jardins e terrenos limpos e livres de entulho e lixo.

8 dicas para combater o caramujo gigante, que causa meningite e prejuízos na lavoura – Globo Rural | Agricultura.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s