Pequeno produtor cria, com sucesso, integração leite e peixe | Agronegócios – Correio do Estado

DA REDAÇÃO 16/06/2014 08h00
 
foto
Foto: Divulgação/Edwin Baur
Produtores de leite estão investindo em criatórios de peixes e aumentando a renda

O sistema de integração de atividades produtivas rurais, novidade que vem alcançando resultados muito positivos por todo o País, chega à pecuária leiteira e aos pequenos produtores sul-mato-grossenses. Por iniciativa de um desses produtores de leite, de Glória de Dourados (MS), que inovou ao implantar sistema de irrigação para obter mais produtividade de suas pastagens, Franciso José Rigato chegou à ideia de incorporar a piscicultura em sua propriedade e, assim, melhorar sua renda mensal. As informações são de reportagem publicada hoje (16) no caderno Rural do jornal Correio do Estado. “Nós tínhamos 16 hectares aqui em Glória de Dourados, pertinho da cidade. Mas, com o falecimento do meu pai, essa terra foi dividida entre eu e mais dois irmãos. Com 5.6 hectares, ficou mais difícil produzir e a renda de cada um de nós diminuiu. Somente com o leite, tendo nosso pai à frente, estávamos conseguindo uma renda de 3 a 4 salários mínimos por mês, precisávamos buscar uma forma de manter esse padrão”, afirmou Franciso Rigato.

Ele já tinha começado a experimentar um sistema de irrigação para melhorar as condições do capim elefante plantado na sua propriedade. Foi aí que, em uma conversa, o técnico da Agraer, Edwin Baur, sugeriu que ele aproveitasse o tanque que havia feito para abastecer o sistema de irrigação para iniciar a produção de peixe. Por orientação do técnico, foi buscar no Paraná os primeiros exemplares de tilápia, espécie que ele está produzindo, ainda de forma um pouco incipiente, mas que já chamou atenção, inclusive, dos pesquisadores da Embrapa Agropecuária Oeste, de Dourados, que estão dispostos a orientar os produtores de Glória de Dourados, para que aprimorem o sistema de integração e, principalmente, melhorem as condições em que irão criar a tilápia.

Quando teve a ideia de criar tilápias dentro do tanque de água que usava para irrigar, a dimensão do tanque era de 9 m x 12 m, o que dá 108 metros quadrados. Quando os peixes chegaram, ele havia feito um tanque de 12 m de largura por 45 m de comprimento, num total de 540 metros quadrados. Rigato só lamentou o fato de a prefeitura de Glória de Dourados, que anteriormente apoiava com pás carregadeiras e retroescavadeiras, utilizadas para abrir tanques e outras funções, ter parado de apoiar a iniciativa. Outra preocupação, especialmente dos produtores, é com a comercialização da produção. Hoje, estão vendendo para a comunidade local e, também, para o governo federal, que tem um programa que pagava R$ 4.800 por ano para cada produtor, em 2013, e passou a pagar R$ 6.800. Para 2015, o governo já garantiu que pagará R$ 10.500 a cada produtor que entregar o pescado.

A criação de peixes no município de Glória de Dourados em tanques de lona é um sistema de cultivo intensivo, com renovação contínua de água, nos locais onde é realizada a irrigação de pastagens. Esta alternativa apresenta vantagens do ponto de vista técnico, ecológico, social e econômico sobre o extrativismo e a piscicultura tradicional. A explicação é do técnico da Agraer, Edwin Baur. Segundo ele, os tanques de lona foram povoados com tilápias nilóticas GIFT. A espécie apresenta bom desenvolvimento ponderal, produção de duas safras por ano, rusticidade, o que permite que um mínimo de doenças e parasitas se desenvolva. Também considerou o processo de conversão alimentar, boa aceitação, elevado valor comercial e custos de produção relativamente baixos. A alimentação dos peixes é com ração conforme recomendação para a espécie.

A taxa média de estocagem foi de 5,86 peixes por m³. Com 135 dias, eles atingiram peso médio de 600 gramas. A conversão alimentar foi de 1,3kg de ração para 1 kg de peixe.
Ele complementa garantindo que a atividade proporciona o consumo de tilápias na alimentação da família de cada produtor e um bom retorno financeiro. Claro que há muito a fazer, uma vez que a iniciativa foi de um pequeno produtor que, pelos resultados, motivou outros 30 outros produtores a entrarem no sistema. Porém, para a pesquisa agora já foram identificadas várias ações que serão necessárias para aprimorar e dar mais qualidade ao produtor final, além dos aspectos legais, por exemplo, na hora da comercialização do pescado.A matéria é assinada por Maurício Hugo.

 

Pequeno produtor cria, com sucesso, integração leite e peixe | Agronegócios – Correio do Estado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s