Deposição de calda pulverizada na cultura da soja promovida pela aplicação aérea e terrestre

Este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito da tecnologia de aplicação aérea e terrestre de fitossanitários na deposição de calda, na cultura da soja. Avaliou-se, após a aplicação de um traçador, a deposição nas partes inferior e superior do dossel da cultura, por meio de espectrofotometria. O ensaio foi conduzido no delineamento em blocos ao acaso, com quatro r ha-1); 5 – Terrestre (Ponta de jato plano defletor-TT 11002 e 150 L ha-1); 6 – Aéreo (Atomizador rotativo e 40 L ha-1); 7 – Aéreo (Atomizador rotativo e 30 L ha-1); e 8 – Aéreo (Atomizador rotativo e 20 L ha-1). Também foi conduzido um estudo de espectro de gotas. As aplicações terrestres com ponta de jato cônico vazio e aérea (40 L ha-1) foram as mais eficientes em promover a penetração da calda no dossel, embora seus espectros de gotas sejam mais suscetíveis à deriva. A aplicação aérea mostrou-se viável tecnicamente, quanto à deposição de calda, em comparação aos tratamentos terrestres.

Veja o artigo na integra clicando aqui.

Deposição de calda pulverizada na cultura da soja promovida pela aplicação aérea e terrestre.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s