Produtores apostam no cooperativismo

Clique para Ampliar

Quixeramobim. A pecuária da maior bacia leiteira do Estado ganha um importante aporte. Em busca do fortalecimento do setor pequenos produtores rurais fundaram a Cooperativa Agropecuária de Quixeramobim. Segundo o presidente da associação autônoma, Benes Pimentel, a Quileite – nome de fantasia criado pelos associados – pretende solucionar os problemas enfrentados pelo setor incrementando a produção rural e a comercialização do leite diretamente aos consumidores.

A Quileite inicia suas atividades com 25 associados, mas, até o fim do ano, pretende contar com pelo menos 100 produtores. Cerca de 80% do rebanho leiteiro do Município, estimando em 70 mil cabeças, é criado por agricultores familiares, pronafianos, como são conhecidos por dependerem de recursos econômicos federais. Com a união será possível reduzir custos e conquistar assistência técnica mais eficiente no campo, avalia o presidente.

Pimentel aponta a oscilação do preço do leite como principal gargalo da maior cadeia produtiva do Município. Oscila ao sabor das indústrias de laticínios. São os empresários quem estipulam o valor do produto. Desorganizados, os produtores, principalmente os pequenos, sofrem mais. Sujeitam-se a comercializar o litro a até 30% abaixo do preço de mercado. Na época do inverno, os laticínios baixam o preço de compra.

Estratégia
A estratégia utilizada pelos usineiros é denominada “cota”. Este ano, vendido a R$ 0,65 o litro, caiu para R$ 0,45. Mesmo assim, na outra ponta, o consumidor não é beneficiado com a redução. Por esse motivo os cooperados fecham parceria com uma indústria de laticínios da cidade. Em breve terão sua marca nas prateleiras dos supermercados da região. Esperam contar com o apoio dos empresários e, principalmente, da população. Preço justo e qualidade serão primados, garantem eles.

Além da industrialização, a cooperativa pretende instalar uma fábrica de rações. A compra de medicamentos e de equipamentos em conjunto também está nos planos. Aprenderam essas e outras alternativas por meio da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), secção do Ceará. Foram mais de três meses de orientações, voltadas à valorização da cadeia produtiva até a solenidade de apresentação da Cooperativa, neste fim de semana, na Secretaria de Agricultura de Quixeramobim.

À frente da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) do Estado nos últimos três anos e meio, o engenheiro agrônomo Camilo Santana participou do lançamento da Quileite.

Assistência

Para ele, pela assistência técnica, com melhoramento genético, os criadores poderão pular do patamar médio de três litros de leite para 18 a 20 litros/dia. Esse processo já ocorre, com a distribuição de bancos de sêmen. Os tanques de resfriamento também são importantes. Conforme determina a Norma 51 do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), o armazenamento e o transporte só podem ser efetuados com o processamento de temperatura.

O cooperado Lauro Paulino de Melo está otimista com a iniciativa. Ele mora na localidade de Coque, a 49km do Centro de Quixeramobim. Possui apenas oito vacas. Resolveu criar os animais para agregar recursos para o sustento familiar. Mas estava sendo praticamente obrigado a dar o leite. “Quem sabe com a Quileite, a gente consiga resfriar também a ganância de quem só pensa no lucro fácil”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s